Na quinta edição do Morar Mais por Menos em Curitiba, alguns arquitetos apostaram na criação de espaços com um perfume retrô, mas sem necessariamente fazer uso de antiguidades e peças vintage repaginadas. A solução encontrada foi recriar em materiais contemporâneos as formas e texturas do passado, além de abusar de cores que remetem às décadas de 50 e 60.

Thiago Florenzano mergulhou no design futurista da década de 60 para projetar a copa, cozinha e sala de jantar da mostra. Destaque para as cristaleiras em laca verde e para o lustre multicolorido assinado pelo designer norte-americano Dale Chihuly. A macro-treliça em laca branca, também lembra as divisórias de ambientes do passado.

Na copa/cozinha, Florenzano investiu em linhas curvas com uma pegada Jetsons do século XXI. No espaçoso ambiente, a mesa de apoio faz as vezes de divisória e base para o cooktop. A geladeira foi encaixada num grande móvel curvo.

Também no projeto das designers de interiores Carolina Ferraz e Leandra Serbake o gostinho de antigo foi destaque.

Idealizado para “um jovem casal com fortes valores familiares e que procura qualidade de vida na simplicidade”, a dupla de arquitetas investiu num conjunto de cores vintage e numa peça clássica dos anos 50 – um refrigerador restaurado-, para criar um espaço aconchegante e que também funcionasse como área de estar. Destaque para a estampa geométrica do porcelanato no balcão e para o mix de tons de amarelo e amadeirados do ambiente.

Para os mais moderninhos, uma dica retrô-moderna é o papel de parede 3D, uma novidade no mercado, cria um efeito óptico surpreendente.