O Delta do Okavango é considerado uma das sete maravilhas naturais do continente africano. E é nele que está localizado o Sandibe Okavango Safari Lodge – construído sem impacto ambiental, o hotel mantém elefantes, hipopótamos e leões por perto em uma proposta inovadora. Além disso, toda estrutura foi renovada com materiais biodegradáveis, artesanato local, decoração em tons de cobre e madeira.

Para a modernização do hotel, coube a dois escritórios de arquitetura, o sul-africano Nicholas Plewman Architects e Michaelis Boyd Associates, com base em Londres, o desafio. Uma vez que a estrutura original foi construída há dezessete anos, foi declarada patrimônio mundial e, consequentemente, uma série de restrições foram impostas para a sua modernização. O design da Sandibe não só atende a esses desafios, mas é revigorado por eles.

O hotel usou como referência animais que transportam seu abrigo com eles ou tecem os materiais orgânicos à mão. A construção foi inspirada no pangolin – o tatu da África – por sua natureza e capacidade de enrolar em sua própria capa protetora de escamas. O edifício final parece ter crescido organicamente a partir do seu local ribeirinho.

Toda a renovação do hotel foi feita com materiais biodegradáveis, sem o uso de cimento e a eletricidade é fornecida por painéis solares. Para a estrutura, paredes de madeira reflorestada foram impermeabilizadas com uma membrana acrílica termicamente eficiente e com alta resistência ao clima.

 

Mas o sucesso do hotel está na presença e beleza deslumbrante dos animais na área. Grandes animais como elefantes, hipopótamos, leões e leopardos continuam pelo espaço. Prova de que a boa arquitetura deixa a natureza viver.

 

Ficou com vontade de sair correndo e embarcar no primeiro avião para a África? A gente também! Confira mais fotos do hotel na galeria e comece a programar a próxima viagem.